Resumo da época do Hóquei em Patins

Foto Facebook Sporting Modalidades - Link


Após o título de campeões europeus, como tem corrido esta época ao hóquei do Sporting Clube de Portugal? Vamos analisar...

Eis os resultados dos jogos oficiais até à data:

Sporting 7 - 0 Hockey Sarzana (Taça Continental)
Porto 2 - 3 Sporting (Taça Continental)
Riba D’Ave 1 - 4 Sporting
Sporting 4 - 2 Lodi (Liga Europeia)
Sporting 4 - 3 Oliveirense
Paço de Arcos 2 - 4 Sporting
Sporting 3 - 0 FC Porto
Sporting 4 - 5 OC Barcelos
Quévert 1 - 2 Sporting (Liga Europeia)
AD Sanjoanense 2 - 2 Sporting
Sporting 6 - 2 AE Física
HC Tigres 1 - 4 Sporting
Sporting 4 - 0 Juventude de Viana
Reus 3 - 3 Sporting (Liga Europeia)
Valongo 2 - 3 Sporting
Sporting 6 - 1 HC Braga

Seguidamente, as tabelas classificativas do Campeonato Nacional e do grupo A da Liga Europeia, respectivamente:


Campeonato Nacional


Liga Europeia


Em termos de resultados nos 16 jogos disputados, o Sporting apresenta 13 vitórias, 2 empates e 1 derrota, tendo já ganho uma Taça Continental. Nada mau...


Análise Estatística

No Campeonato Nacional, ao fim de onze jornadas, estamos na liderança partilhada com OC Barcelos e Benfica, com Oliveirense e FC Porto a seguirem de perto o grupo da frente.  Em termos de médias, somos a equipa que apresenta a melhor defesa, com 1,72 golos sofridos por jogo e, ao nível do ataque, apresentamos uma média de 4 golos marcados por jogo. Neste aspecto, estamos, no entanto, longe dos nossos rivais, sobretudo do OC Barcelos (o melhor ataque da prova), que tem uma média de 5,72 golos marcados por jogo.

Na Liga Europeia, após 3 jornadas, estamos no 1º lugar do Grupo A com 2 vitórias e um empate, apresentando uma média de 3 golos marcados e 2 golos sofridos por jogo: média inferior nos golos marcados e superior nos golos sofridos, tal como seria esperado e algo habitual nas várias modalidades.

Em termos individuais, eis a tabela dos marcadores de golos, que contempla também os melhores marcadores de golos dos nossos rivais.


Tabela marcadores de golos do Sporting e a sua tipologia, bem como dos melhores marcadores do campeonato
Dados retirados do site www.hoqueipatins.pt 


Conforme podemos ver, Ferran Font é o nosso melhor marcador, com 11 golos, seguido de perto por Toni Pérez. Caso curioso, estes 2 jogadores têm sido os nossos principais marcadores em jogos recentes. Falando puramente de golos, estamos muito longe dos 2 melhores marcadores Gonçalo Alves e Marc Torra, que têm 25 e 18, respectivamente.
Analisando os resultados da tabela, verificamos que 5 golos foram marcados de livres diretos e apenas 3 fruto de grandes penalidades. Só Torra, de livre direto, tem 9 golos marcados, e Nuno Araújo, do Valongo, leva 7, bem mais que toda a nossa equipa inteira! Se olharmos para os penalties, Gonçalo Alves tem 8 golos marcados desta forma (mais do dobro que toda a equipa do Sporting), com uns fantásticos 80% de eficácia! Torra tem 5 golos marcados de grande penalidade, novamente mais que toda a equipa do Sporting junta!
Das 3 equipas que estão na frente, Sporting e OC Barcelos marcam mais golos de bola corrida do que de bola parada, sendo que o 4º e o 5º classificado, FC Porto e Oliveirense respectivamente, dependem mais deste tipo de lances. É, de facto, curioso, pois, cada vez mais, diz-se que estes lances decidem jogos e são importantíssimos, mas não no caso do Sporting, aliás como se pode ver na tabela seguinte, onde estamos em 9º lugar do campeonato, com 24 lances de bola parada assinalados a nosso favor...




É, claramente, uma área a melhorar na equipa de Paulo Freitas, pois apenas concretizámos 8 lances de bola parada em 24 tentados, o que dá um aproveitamento de 33,3%.

No que diz respeito às bolas paradas assinaladas contra nós, somos uma das equipas a quem menos assinalam esse tipo de lances (fruto também do menor número de faltas assinaladas) e estamos em segundo lugar, no que à eficácia de defesa diz respeito, com 77,3% dos lances defendidos por Girão ou Zé Diogo, os nossos guarda redes.




E já que falamos de guarda redes, através da tabela seguinte verificamos que Girão é um dos melhores do campeonato, embora isso fosse algo que os sportinguistas já sabiam.




Análise ao Plantel

Verona, Telmo Pinto e João Souto: 3 nomes, 3 reforços. 
Dos 3 reforços, ainda nenhum se destacou de forma mais evidente. João Souto é o que mais tempo tem, começando por ser a aposta inicial de Paulo Freitas, mas é difícil roubar o lugar a Toni Pérez e, por vezes, o Sporting também tem actuado sem um homem mais fixo na frente.
Telmo Pinto era um dos patinhos feios do plantel do FC Porto que, mesmo assim, tentou resgatá-lo assim que soube que vinha para o Sporting. Fez um óptimo Campeonato do Mundo, sendo peça importante na vitória da Selecção Nacional, mas ainda não conseguiu mostrar esse nível exibicional no Sporting.
O mesmo pode ser dito sobre Verona, que encantou no jogo frente a Portugal, nesse mesmo Campeonato do Mundo, deixando-nos a todos, sportinguistas, com água na boca para vê-lo com o leão rampante vestido. No entanto, apesar do pouco tempo de jogo no início da época, Verona, parece começar agora a ganhar mais minutos. Pode ser, em conjunto com os outros que referi, uma peça importantíssima mais lá para a frente na época.

Em contra ciclo parece estar Marín. Muitas vezes deixado de fora da convocatória por causa do número de estrangeiros, na última época em Reus (2017/2018) fez 76 golos em 43 jogos, sagrando-se o melhor marcador do campeonato espanhol. Marín tem no seu curriculum 4 Ligas Europeias (incluindo a conquistada pelo Sporting), 2 Mundiais de Hóquei em Patins, 2 Taças intercontinentais de Clubes, 1 Europeu de Hóquei em Patins, entre outros troféus importantes. Será seguro dizer que Marín é como o algodão - não engana! Infelizmente para nós, o seu rendimento no nosso clube tem estado aquém da sua reconhecida qualidade. Porquê? Não sei. Não sei se é por não ser uma verdadeira referência na equipa, se por questões táticas, se por questões pessoais ou se simplesmente Paulo Freitas não consegue tirar o melhor rendimento dele. Eu sei que ele foi importante em certos momentos chave, mas, sinceramente, eu esperava mais dele esta época. Esperava vê-lo mais entrosado com os companheiros e, sobretudo, com mais tempo de jogo e golos…

A meu ver, o plantel é muito completo para todos os lugares. Não existem equipas perfeitas e todos os plantéis do mundo podem sofrer um upgrade em uma ou mais posições, mas acho que temos jogadores, em quantidade e qualidade, para disputarmos todas as competições onde estamos inseridos.

A nível de rendimento exibicional, acho que temos feito uma época inconstante. Realizámos grande jogos frente ao Porto e Oliveirense, para depois termos, por vezes, dificuldade em ganharmos a adversários mais modestos. Empatámos em Reus depois de estarmos a perder por 3-1, por exemplo. A diferença está, a meu ver, na atitude com que a equipa entra para esses jogos, um pouco à semelhança da equipa do Futsal. Curioso que encontro muitas semelhanças, ao nível da inconstância exibicional, em ambas as modalidades que se sagraram campeãs europeias na época passada…
Contudo, no que diz respeito ao Hóquei, acho que essa inconstância passou por uma mudança de estratégia. Há duas época, sagrámo-nos campeões nacionais com uma defesa de betão. Vários foram os jogos onde não sofremos golos e conseguimos o caneco, mesmo estando longe de termos o melhor ataque. No ano passado, Paulo Freitas tentou melhorar a parte ofensiva, mas isso fez com que nos ressentíssemos na parte defensiva. Este ano, parece-me que estamos a regressar à velha fórmula, embora não tenhamos começado assim. Ataques ganham jogos e defesas ganham campeonatos! Bem, eu diria que defesas também ganham jogos e já tivemos vários exemplos disso nesta época e em várias modalidades. 


Expectativas

Reitero o que disse antes: temos que nos assumir como candidatos a vencer todas as competições. Somos os actuais Campeões Europeus. Mantivemos o núcleo duro e, penso eu, saímos reforçados das trocas de jogadores que fizémos.
Já temos um troféu conquistado esta época, pelo que é continuar na senda de conquista.

Na Liga Europeia, temos o apuramento para a Final Four bem encaminhado. Na segunda volta, receberemos os franceses do Quévert e os espanhóis do Reus, restando-nos a deslocação a Itália para defrontar o Lodi. Depois, na Final Four depende sempre do emparelhamento e da forma da equipa nessa altura… Eu acho que temos equipa para estarmos na final. E depois? Depois,  logo se vê... Mas é sempre para ganhar!

No Campeonato Nacional, em Janeiro virão duas jornadas que vão alterar classificações. Já no dia 5 de Janeiro, temos um Benfica-Sporting e, no fim-de-semana seguinte, um OC Barcelos-Benfica para fechar a 1ª volta. De salientar que, na segunda volta, teremos que defrontar fora a Oliveirense, o FC Porto e o OC Barcelos, sendo que, das equipas do grupo da frente, apenas receberemos o Benfica.
Portanto, teremos uma segunda volta muito complicada pela frente. Há que arregaçar as mangas, construir um muro à frente da baliza, melhorarmos claramente o rendimento nas bolas paradas, evitarmos perder pontos contra os ditos “pequenos” e estarmos unidos para conseguirmos conquistar novamente o título!

A Taça de Portugal é também, obviamente, um objectivo...

Força Hóquei! Força Sporting!


Saudações leoninas a todos.

tigas68




Comentários